quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

Search
Close this search box.

Boato faz facção executar e filmar morte de adolescente de 17 anos em MS, diz polícia

Jovem foi morto após ser ligado a um possível caso de estupro, segundo apuração da polícia.
(Foto: Polícia Civil/Divulgação)
(Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Um adolescente de 17 anos foi assassinado em Deodápolis, a 249 quilômetros de Campo Grande, após ser vinculado a um possível caso de estupro na cidade. A execução foi filmada pelos suspeitos, que fazem parte de uma facção criminosa, e o vídeo publicado em redes sociais. O crime ocorreu no sábado (13), mas só foi confirmado na manhã de segunda-feira (15).

Durante a tarde, a Polícia Civil de Deodápolis confirmou que o estupro não aconteceu. O assassinato do adolescente teria sido encomendado pelo pai da suposta vítima do estupro, que foi atrás de comparsas para o matarem. Ele e outros quatro suspeitos de envolvimento no assassinato foram presos.

Emboscada para morte
Segundo o relato da polícia, o grupo sequestrou um tio da vítima com o objetivo de atrair o jovem para uma emboscada.

Após o sequestro, o grupo ligou para o adolescente que, no intuito de salvar o tio, foi ao local combinado para resgatar o familiar. Chegando ao local combinado, ele foi surpreendido e executado.

Toda a execução foi filmada. Um dos suspeitos cortou o pescoço da vítima e outro golpeou a região várias vezes. As imagens do assassinato foram compartilhadas em grupos de WhatsApp, para integrantes de uma organização criminosa.

Após a execução, o tio do adolescente, que realmente foi sequestrado, permaneceu no local. Horas após ser deixado no cativeiro, o tio da vítima conseguiu fugir e foi direto para a Polícia Militar denunciar o crime.

As prisões
Após a denúncia do tio, a equipe policial foi ao local do crime e encontrou o corpo do jovem. Na sequência, uma força-tarefa das Polícias Civil e Militar foi montada para encontrar os cinco suspeitos de envolvimento no assassinato.

Um dos suspeitos, apontado como responsável por cortar o pescoço da vítima, foi encontrado na rodoviária da cidade, enquanto tentava fugir para São Paulo. Ao ser preso, ele não demonstrou arrependimento. Ainda segundo a polícia, os cinco presos confessaram o crime.

Com informações do G1

Veja também
Trator tomba e mata professor no interior do Paraná

Trator tomba e mata professor no interior do Paraná

A morte do professor, que era popularmente conhecido como “Carlinhos”, causou forte comoção entre os moradores.

Oposição pressiona Lira a votar Lei da Saidinha na Câmara

Oposição pressiona Lira a votar Lei da Saidinha na Câmara

Texto sofreu alterações no Senado e, por isso, volta à análise dos deputados.