terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Search
Close this search box.

Brasil exporta mais carne bovina em volume, mas receita cai em 2023

A China continua como o maior cliente da carne bovina brasileira, embora com uma pequena queda de 3,2% na importação em 2023.
Foto: Agência Brasil/Arquivo
Foto: Agência Brasil/Arquivo

As exportações brasileiras de carne bovina (in natura e processada) somaram 2,536 milhões de toneladas em 2023, volume 8,15% superior ao registrado no ano anterior, mas a receita total caiu 17,15%, para US$ 10,845 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

A queda na receita foi provocada por preços médios menores praticados nos principais países importadores.

No caso da China, responsável por metade da carne bovina exportada pelo Brasil, a queda foi de 25,43% em 2023, para US$ 4.761 por tonelada, frente ao ano anterior.

Já no caso dos EUA, segundo maior comprador da carne bovina brasileira no mercado internacional, a queda em 2023 foi de 38%, para US$ 3.121/ton.

No geral, o preço médio da carne bovina exportada pelo Brasil em 2023 foi de US$ 4.277/ton., em comparação com os US$ 5.583/ton. obtidos em 2022.

A recuperação no volume se acentuou em dezembro.

Em 2022, o Brasil exportou 186.034 toneladas no mês e, em 2023, no mesmo período, foi a 282.513 toneladas, num crescimento de 52%.

A receita também aumentou de US$ 850 milhões em 2022 para US$ 1,090 bilhão em 2023, com alta de 28%, mas não foi suficiente para recuperar a queda anual.

Os preços médios também caíram em dezembro. Em 2022, o Brasil obteve US$ 5.582 por tonelada neste mês e, em 2023, o valor caiu para US$ 3.861 por tonelada.

China mantém liderança, mas EUA crescem
A China continua como o maior cliente do produto brasileiro, embora com uma pequena queda de 3,2% na importação total em relação ao ano anterior.

Em 2022, a China comprou 1.248.981 toneladas (53,3% do total) com receita de US$ 7,974 bilhões (60,9%).

Em 2023, as aquisições foram de 1.208.507 toneladas (47,7% do total) com receita de US$ 5,754 bilhões (53,1%), ou seja, queda de 27,8% na arrecadação de divisas com preços médios de US$ 6.384 em 2022 e de US$ 4.761 em 2023.

Os Estados Unidos consolidaram a segunda posição entre os 20 maiores importadores da carne bovina brasileira com um crescimento surpreendente de 81,7% no volume adquirido e de 12,7% na receita em 2023.

Em 2022 os norte-americanos importaram 196.940 toneladas com receita de US$ 991 milhões.

Em 2023 aumentaram suas aquisições para 357.825 toneladas, com receita de US$ 1, 116 bilhão.

Os preços médios, no entanto, caíram de US$ 5.032 por tonelada em 2022 para US$ 3.121 por tonelada em 2023.

Outros países crescem
Na terceira posição entre os 20 maiores compradores está o Chile. Em 2022, o país comprou 79.420 toneladas com receita de US$ 395,9 milhões. Em 2023 importou 100.468 toneladas (+ 26,5%), com receita de US$ 487,7 milhões (+23,2%).

No quarto lugar veio Hong Kong, com importações de 95.871 toneladas e receita de US$ 322,9 milhões em 2022 e movimentação de 119.295 toneladas (+24,4%) com receita de 371,1 milhões em 2023 (+11,5%).

Com informações do Canal Rural

Veja também
Costureira é morta com tiro na cabeça ao reagir a tentativa de roubo em Medianeira, diz PM

Costureira é morta com tiro na cabeça ao reagir a tentativa de roubo em Medianeira, diz PM

Segundo a polícia, um menor de idade foi apreendido por participação no crime. O menor informou que o disparo foi feito por outro homem, que está desaparecido.

Governo muda regras de planos de previdência privada; entenda

Governo muda regras de planos de previdência privada; entenda

Participante poderá receber tipos diferentes de renda ao mesmo tempo.

Filha morre três horas depois do pai no Paraná

Filha morre três horas depois do pai no Paraná

Eva Botura cuidava do pai, que era paciente oncológico.