Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Comissão aprova convite ao Ministro da Educação para explicar questões ideológicas do Enem

Onze parlamentares da FPA que subscreveram o requerimento manifestaram preocupação com a “politização da prova" e "discriminação” do setor agropecuário.
(Foto: Luiz Fernando Cerni/Câmara dos Deputados)

A Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados (CAPADR) aprovou, nesta quarta-feira (8), o requerimento de convite (REQ 152/2023) ao Ministro da Educação, Camilo Santana, a fim de esclarecer o tratamento dado ao agronegócio nas questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O posicionamento se refere a pelo menos duas questões do primeiro dia do exame, aplicado no último domingo, que, de acordo com os membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), estariam promovendo uma visão negativa e distorcida do setor agropecuário. Caso ele não comparecer como convidado será convocado pela comissão.

As questões que geraram a controvérsia abordam temas relacionados à Amazônia e ao cerrado brasileiro, considerados pela Bancada como ideológicas. Os onze parlamentares da FPA que subscreveram o requerimento buscam esclarecimentos do Ministro da Educação sobre as referências bibliográficas utilizadas nessas questões e manifestaram preocupação com uma possível “politização da prova” e “discriminação do setor agropecuário”.

“Jogar o agro contra o país é uma vergonha, um esculacho. Ao invés de valorizar e enaltecer, o governo faz, através do Enem, uma orientação ideológica contra o avanço do setor no Brasil,” disse Evair de Melo (PP-ES).

“O Enem, como um dos principais instrumentos de avaliação do conhecimento no país, deve buscar a imparcialidade e a objetividade em suas questões. Portanto, é inaceitável que o setor agropecuário seja alvo de críticas infundadas, que podem desinformar e estigmatizar a população, distorcendo a realidade e desvalorizando o trabalho árduo dos agricultores e pecuaristas,” completou a deputada Coronel Fernanda (PL-MT).

A Frente Parlamentar da Agropecuária emitiu uma nota, na segunda-feira (6), solicitando a anulação das questões que não consideram ter critérios científicos adequados.

O presidente da CAPADR, deputado Tião Medeiros (PP-PR), explicou que o objetivo da convocação do Ministro da Educação é esclarecer as preocupações dos parlamentares e garantir que o Enem seja um instrumento imparcial de avaliação do conhecimento dos estudantes.

“Enquanto nós batalhamos diariamente para construir uma imagem positiva do agronegócio, como pilar da economia brasileira, formador de mão de obra, gerador de riqueza, renda e desenvolvimento, vem o Enem e comete um grave desserviço”, disse Tião Medeiros. “A vinda do ministro na comissão é importante para esclarecer as questões que levaram uma imagem distorcida do agro aos milhões de estudantes que fizeram a prova,” afirmou o deputado.

Por sua vez, o deputado Rafael Pezenti (MDB-SC), reforçou que a abordagem tendenciosa que pode ser encontrada nas questões do Enem não reflete a importância do setor agropecuário para a sociedade brasileira.

“É importante que o ministro venha para explicar a aberração da prova onde um governo condena o uso da tecnologia e da mecanização no campo e coloca o agro como se estivesse espalhando uma chuva de veneno pelo Brasil,” finalizou.

Meio Ambiente
Também nesta quarta a Comissão de Agricultura da Câmara aprovou o requerimento (REQ 149/2023), nesse caso, para convocar a ministra do Meio Ambiente (MMA), Marina Silva, a prestar esclarecimentos a respeito das medidas tomadas pelo MMA em relação ao setor agropecuário brasileiro.

“A vinda da ministra a esta comissão é importantíssima para prestar esclarecimentos a clara perseguição ao agronegócio brasileiro e aos produtores rurais. Estamos vendo várias falas e instrumentos sendo utilizados contra o setor. Não podemos ficar de braços cruzados e queremos saber qual a ideia que o MMA tem para o agronegócio,” destacou um dos autores do requerimento, deputado Rodolfo Nogueira (PL-MS).

Com informações da FPA

Veja também