Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Prédio desaba e rachaduras aumentam após chuva em Gramado

Situação geológica grave em Gramado com fissuras e rachaduras em vários bairros da cidade. Prédio desabou na madrugada de hoje.

O edifício que estava interditado após ter sua estrutura comprometida pelas fortes chuvas da última sexta-feira desabou na madrugada de hoje. No final da madrugada, o edifício Ana Carolina veio abaixo no bairro Planalto, na cidade da Serra Gaúcha.

O prédio apresentava rachaduras desde o fim de semana, após intensas precipitações terem atingido a Região das Hortênsias com deslizamentos de terra e queda de barreiras. A chuva excessiva levou ainda à enchente do Rio Paranhana, no vale.

O Corpo de Bombeiros Militar está no local do desabamento e não há vítimas, uma vez que os mais de cem moradores da edificação já haviam abandonado o prédio depois que foi constatado o comprometimento da estrutura.

A situação geológica em Gramado é grave. Rachaduras apareceram no solo em vários bairros da cidade e fazem com que as pessoas tenham que deixar suas casas. Segundo a Prefeitura, equipes técnicas elaboram relatórios das vistorias realizadas nos últimos dias, e outros grupos de servidores municipais seguem limpando as vias, auxiliando as famílias atingidas e monitorando pontos mais críticos.

Desde o início desta semana uma equipe de técnicos das Secretarias de Meio Ambiente e do Planejamento Urbano segue vistoriando e elaborando pareceres técnicos sobre as rachaduras. A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (FEPAM) deslocou uma equipe técnica de Porto Alegre para prestar suporte devido ao risco de deslizamentos.

O mais crítico, na avaliação dos técnicos, fica entre os bairros Três Pinheiros e Planalto, junto a um condomínio de casas, em uma área que foi isolada pela Defesa Civil. Já no Loteamento Orlandi, os danos foram pontuais. Fissuras estão aparecendo todos os dias em vários pontos da cidade.

Duas pessoas morreram no sábado após o desabamento de uma casa na localidade da Linha Marcondes Baixa, em Gramado, na divisa com a cidade de Santa Maria do Herval. A confirmação da morte de mãe, de 80 anos, e filha, de 52 anos, foi feito pela prefeita de Santa Maria do Herval, Mara Stoffel. Outras duas pessoas conseguiram sobreviver ao desmoronamento.

Com informações da MetSul

Veja também