Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Tabaco: lavouras atingidas por granizo cresce 700% nesta safra

No Rio Grande do Sul, principal produtor de tabaco do país, foram registrados mais de 2 mil lavouras atingidas por granizo.

Episódios de granizo têm causado danos significativos às lavouras de tabaco na Região Sul do Brasil. Segundo levantamento da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), os acionamentos de seguro agrícola por causa do granizo aumentaram quase 700% neste ciclo 23/24, em comparação com a safra anterior.

No Rio Grande do Sul, principal produtor de tabaco do país, foram registrados mais de 2 mil lavouras atingidas por granizo.

Em Santa Catarina, a região de Rio do Sul registrou 1.600 notificações.

Já no Paraná, a região de Irati tem mais de 1.300 pedidos de seguro.

O aumento dos danos está relacionado à incidência do fenômeno climático El Niño, que trouxe mais dias de chuva e tempestades.

Segundo Fabrício Murini, da Afubra, “um percentual significativo de lavouras sofreu perdas totais, mas a grande maioria apresenta potencial de recuperação, embora com índice de quebra devido às folhas perdidas.”

Produtores como Márcio Niewinski, de Chuvisca, Rio Grande do Sul, relatam prejuízos significativos. Ele afirma: “Esse ano eu tive um prejuízo de mais de dez folhas por pé, em 100 mil pés de fumo que eu planto do cedo. Foi um prejuízo muito grande. Tem umas folhas que recuperaram mas tem muitas folhas aí que não sobrou quase nada do pé de fumo. Foi feia a pegada esse ano e o prejuízo é muito grande.”

Nos três estados do Sul, mais de 128 mil famílias produzem tabaco, correspondendo a um faturamento de R$ 9,5 bilhões. O Rio Grande do Sul é o principal produtor do país.

Além do granizo, o excesso de chuva tem prejudicado a qualidade do tabaco com o aparecimento de fungos.

Danrlei Frantz, produtor de tabaco em Santa Cruz do Sul, afirma: “Principalmente nas folhas de baixo do pé com aparecimento de olho de boi, fazendo com que a folha perca a produtividade, peso e qualidade também. Além de manchas na lavoura por causa do afogamento das raízes pelo excesso de chuva. Mesmo uma lavoura com aparência boa a gente sabe que a produtividade será bem baixa.”

Os produtores que foram atingidos e que têm seguro devem entrar em contato com a Afubra para que a assistência seja providenciada o mais breve possível.

Com informações do Canal Rural

Veja também